Share |

PSD SILVES, MEMÓRIA CURTA ou IRRESPONSABILIDADE POLÍTICA?

 

O PSD de Silves, traz à cidade, pela 2.ª vez em 3 meses, Mendes Bota. Não pensem que foi por se viver prematuramente em ambiente de pré-campanha autárquica no concelho: desta vez, foi para chamar a atenção para a necessidade de desassoreamento do rio Arade. Esquecendo-se, contudo, que ao longo destes 20 anos o PSD esteve 13 no Governo e, tal como o PS, nada fez pelo rio. 

Na manhã de Domingo, 1 de Abril, a Presidente da Câmara Municipal de Silves e o PSD organizaram uma Jornada pelo desassoreamento do rio Arade. Parece que quiseram mostrar a Ana Paula Vitorino, Secretária de Estado dos Transportes, que tornar o rio navegável é das coisas mais fáceis do mundo. Várias dezenas de cidadãos afectos ao PSD compareceram à chamada e, enquanto uns se dedicaram ao trabalho, os outros ficaram na berma a dar apoio moral e, quem sabe, para limpar e catalogar alguns achados interessantes que pudessem aparecer.

Ajudados pelo líder da Distrital, Mendes bota, Isabel Soares, e seus companheiros deslocaram-se para o fundo do rio, calçados de galochas protectoras, munidos de pás e baldes. Eram pás em bom estado de conservação e baldes grandes que levavam perto do dobro daqueles de 9/10 litros usados habitualmente na construção civil.

O grupo dirigiu-se para a margem esquerda, junto à “Horta Grande”, mas os cascalhos recusavam-se a dar entrada nas pás. Não se sabe se suspeitaram que estavam a ser alvo de sabotagem, desse lado. Decidiram experimentar no centro e na direita, mas os trabalhos continuavam difíceis. O cascalho estava muito compactado e o máximo que conseguiram arrancar dele foram pequenos fragmentos. Os baldes tinham dimensões desajustadas para a tarefa e acabaram por ficar vazios por o PSD não ter levado todas as ferramentas de trabalho que precisariam.

Mesmo assim, o PSD de Silves conseguiu fazer em poucos momentos, tanto ou mais do que o PSD Nacional fez pelo rio Arade, enquanto foi Governo. Como se sabe o PSD esteve no Governo muito tempo, como foi o caso dos 10 anos de Governos de Cavaco Silva, mais os de Durão Barroso e Santana Lopes.

Depois desta Jornada de trabalho do PSD Silves o rio Arade não se tornou navegável na maré vazia para barcos de 1,5m de calado. Nesta manhã a água na maré vazia estava muito longe. Para tornar o rio navegável, teriam que escavar 2 metros a 2,5 metros. Depois de tirarem toneladas e toneladas material, teriam que chamar o pessoal da oposição para segurarem as paredes que rodeiam o rio por estas terem ficado sem fundações.

O Bloco de Esquerda de Silves (BE) não se esqueceu, que não existe projecto aprovado para tornar o rio navegável no troço final, desde a Ilha do Rosário até Silves. O proposto canal de navegação com 20 metros de largura teria sido reprovado por razões ambientais e não há notícia que tenha sido aceite o canal sugerido com apenas 10 metros de largo.

Ao contrário de outros, o BE acha que as questões ambientais merecem muito respeito e considera que podem valorizar a actividade turística, afirmando-se pela qualidade em relação a outros destinos turísticos.

O BE acha que deve ser discutido se os 10 metros são suficientes, uma vez que as velhas pontes de Portimão são sério obstáculo à navegação de barcos com maiores dimensões. Deve também ser discutido se o rio merece ou não ter de volta algum do leito de cheia, que ao longo dos anos lhe foi retirado por hortas, muros, tapadas e outros entulhos.

O BE, cansado de ver bater tanto na tecla do desassoreamento ao longo de 30 anos, está disponível para que se avalie de espírito aberto outras alternativas que possam servir a navegabilidade do rio Arade, com mais ou menos desassoreamento.